Teatro e Dança: uma forte ligação

| terça-feira, 3 de novembro de 2009

A estudante Sara do curso de Letras, faz dança desde os 7 ano. Iniciou sua carreira com balé clássico e logo após seguiu 2 anos com o jazz. Já participou de grupos de danças da juventude, mais especificamente de axé, e atualmente, depois de um tempo distanciada, faz dança contemporânea na Oswald de Andrade com a professora Luciana Bortoleto, especialista no assunto, e que também oferece oficinas no Centro Cultural de São Paulo.

"A dança contemporânea é somática, e é interessante porque antes de eu entrar nela, eu tinha uma outra visão sobre o que é dança" afirma a aluna. Para Sara, a dança é uma arte na qual precisa estudar, é necessário ter conhecimento do corpo, das articulações para que não faça nenhum movimento errado, e também para evitar acidentes com você mesma ou com os companheiros.

A estudante afirma que já fez parte de um grupo teatral no cursinho da Poli com o professor Rafael Mazini, e ficou em cartaz durante dois meses. Logo depois das apresentações, o grupo se separou. Atualmente também, faz parte de um grupo do professor Sidney Bretanha que conta com 60 atores, e entrará em cartaz novamente no dia 28 de novembro com a peça 'Um feminino austero'. "O autor, na verdade, canta e dança várias vezes em um palco", e esse foi o motivo, junto com a volta ao teatro, que levou a estudante a se interessar por dança contemporânea. Para ela não há dificuldades em seguir nas duas artes ao mesmo tempo já que ambas tem uma ligação muito forte, pois a dança pode ser colocada em palco durante uma peça, e uma apresentação de dança pode, ao mesmo tempo, ser uma encenação.
As únicas dificuldades enfrentadas por Sara no começo, além do problema com articulações, foi a mistura de passos clássicos com os contemporâneos, e para ela, assim como no teatro, ainda existe uma visão pessoal do público, de uma arte ser superior a outra, pois as pessoas ainda colocam os dançarinos de balé clássico em um patamar superior. O grupo termina as aulas no final de novembro, e para dar continuidade ao trabalho, estão pensando nas possibilidades de uma futura apresentação.

por Camila Romero

1 comentários:

Thabata Garcia disse...
29 de agosto de 2010 13:48

... olá ... só pra constar ... q o grupo de teatro do cursinho da poli já teve, além das oficinas regulares anuais, uma turma de ex-alunos, de 2000 a 2006, da qual fiz parte ... não sei qual foi o ano da Sara, mas é engraçado ver como os caminhos se cruzam e desencontram e tornam a se encontrar ... rs ... tudo de bom pro6 do pimentas ... thabata garcia ...

Postar um comentário